[Coluna] O Embate entre Mercado e Moral



A pergunta inicial a ser feita nesta coluna é sobre o motivo da existência da discussão suscitada pelo título. Afinal, de onde veio a ideia de que mercado e moral estão num embate e, principalmente, por que isso teria importância?


Não são necessários grandes esforços para perceber quanto o mercado desempenha um papel fundamental no desenvolvimento humano. No entanto, o ponto principal da discussão é a extensão de sua influência. Após avanços tecnológicos e mudanças paradigmáticas no processo de oferta do que estes proporcionam, as novas demandas mercadológicas passaram a colocar em cheque a moralidade nas relações econômicas.


Seria aceitável uma sociedade em que lugares para audiências do Congresso são vendidos através de um mercado de filas? A alteração das motivações anteriormente atreladas a requisitos morais e espirituais para motivações prioritariamente financeiras se apresenta como um problema para você, caro leitor? Muitos responderiam prontamente que sim e muitos outros nem sequer veriam motivo para discutir uma demanda natural do mercado, mas é exatamente aí que o embate acontece e a necessidade do debate público se coloca.


Como motivos para se atentar a questão, Michael Sandel, em seu livro O que o dinheiro não compra?, esquematiza dois pontos principais: a desigualdade e a corrupção. Uma vez que até mesmo os serviços que se pautam numa certa gratuidade podem ser corrompidos por uma lógica de mercado, então mais do que bens materiais chegam ao cerne das diferenças socioeconômicas presentes na sociedade. Além disso, os próprios objetivos das dinâmicas sociais são colocados em contestação em função de uma submissão pautada pelo poderio econômico.


Posto isso, cabem ressalvas quanto à necessidade de acrescentar ao raciocínio reflexões sobre a intervenção estatal no mercado, o espantalho teórico criado em relação ao capitalismo e também o perigo de transferir liberdades individuais ao debate público. Porém, isso é um assunto para uma próxima coluna, não é mesmo?

_________________________

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA E INDICAÇÃO DE MATERIAL DE APOIO:


SANDEL, Michael J. O que o dinheiro não compra? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

SANDEL, Michael J. Por que não deveríamos confiar nossa vida cívica ao mercado. <https://www.youtube.com/watch?v=5ELY6SMHRP4&sns=fb>

© 2018. Site desenvolvido por membros do Laboratório de Bioética e Direito (LABB).

  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • Instagram - Black Circle